气功-Pacientes com câncer terminal se recuperam após praticar qigong, aponta estudo

“A prática do Falun Gong ajudou pacientes com câncer terminal a sobreviver muito mais tempo, além de trazer uma melhoria notável sobre os sintomas”

Praticantes do Falun Gong durante meditação (Fofg / Reprodução)

“A prática do Falun Gong ajudou pacientes com câncer terminal a sobreviver muito mais tempo, além de trazer uma melhoria notável sobre os sintomas”, concluiu um estudo publicado recentemente no Journal of Clinical Oncology, da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO).

De acordo com um dos autores, o Dr. Yuhong Dong, da Novartis — multinacional suíça do segmento da saúde —, o estudo analisou casos auto-relatados de pacientes com câncer na China entre 2000 e 2015 através de uma plataforma na internet.

Os pesquisadores recolheram 152 casos elegíveis, que incluíam apenas casos de câncer terminal com sobrevida prevista inferior a 12 meses e informações médicas suficientes e verificáveis.

Os casos de câncer primários incluíram: pulmão, fígado, estômago, leucemia, esófago, ginecológico, pâncreas ducto biliar e colorretal. A idade média do surgimento do câncer foi de 53 anos.

O denominador comum da pesquisa foi que todos os pacientes iniciaram a prática do Falun Gong após serem diagnosticados com câncer, ou dos tratamentos convencionais terem falhado. O tempo médio de prática do Falun Gong até a data do relatório foi de aproximadamente 53 meses. O estudo focou na sobrevivência real dos pacientes, na regeneração dos sintomas e melhorias na qualidade de vida.

Dos 152 pacientes analisados, 149 sobreviveram. 97% dos pacientes relataram a recuperação completa dos sintomas. O tempo médio de recuperação, após o início da prática do Falun Gong, foi de 3,6 meses.

Considerando outros fatores terapêuticos, a análise estatística mostrou que a duração da prática do Falun Gong foi o fator dominante para a manutenção da vida dos pacientes.

O artigo intitulado An observational cohort study on terminal cancer survivors practicing Falun Gong (FLG) in China, foi publicado em conjunto com a reunião anual da ASCO em junho, a maior convenção internacional de câncer clínico e pesquisa oncológica.

O estudo também incluiu contribuições de outros cinco pesquisadores da National Taiwan University, University of North Carolina-Chapel Hill, Imperial College London, Mind-Body Science Institute e a National Ilan University em Taiwan.

Fonte:www.epochtimes.com.br

Consultor Marcial - Luiz Carlos

Deixe um comentário