法輪功 – Fǎlún gōng – Praticantes sentenciados na China

Mais de 800 praticantes do Falun Gong, como Liu Xiyong, foram condenados à prisão este ano,

Mais de 800 praticantes do Falun Gong, como Liu Xiyong, foram condenados à prisão este ano, de acordo com estatísticas divulgadas recentemente pelo Minghui.org, um website baseado nos EUA que investiga a perseguição ao Falun Gong na China, embora esses sejam considerados números conservadores, devido à dificuldade de se obter informações da China. O sistema judicial da China é opaco e arbitrário, mas especialmente quando se trata de casos de praticantes do Falun Gong que são presos e acusados ​​simplesmente por sua fé.

Em outubro, Liu Xiyong, um praticante do Falun Gong de 76 anos, foi convocado para comparecer no Tribunal Distrital de Jinzhou, na província de Liaoning, para a sessão de abertura de seu julgamento. O tribunal havia dito à filha de Liu que uma sentença não seria decidida imediatamente. A sessão terminou naquele dia sem um veredito.

Mas em 10 de novembro, Liu Xiyong foi chamado ao tribunal novamente. Desta vez, o tribunal entregou-lhe uma notificação com sua sentença: três anos de prisão. O documento estava datado de 19 de setembro (antes mesmo da abertura de seu julgamento), mas Liu não sabia qualquer coisa a respeito até ver a nota em suas mãos.

 

Fǎlún gōng, também conhecido como Falun Dafa, é uma disciplina espiritual tradicional que foi introduzida ao público na China em 1992.

Julgando que a popularidade do Falun Gong – uma pesquisa estatal em 1999 estimou que houvesse mais de 70 milhões de adeptos, embora os praticantes do Falun Gong afirmem que o número real seria de 100 milhões – era uma ameaça à ideologia ateísta do Partido Comunista, o ex-líder chinês Jiang Zemin lançou uma perseguição nacional. Milhões foram enviados a prisões, centros de lavagem cerebral e campos de trabalhos forçados, com o objetivo de forçá-los a abandonar a sua fé, de acordo com estimativas do Centro de Informação do Falun Dafa.

Fonte: Epochtimes

Deixe um comentário